Arquivo da Categoria ‘Comida’

O que comer no litoral brasileiro

No extenso litoral brasileiro surgiram diversos pratos à base de peixes e frutos do mar. Aqui você conhece um pouco sobre eles e onde encontrá-los.

Barra de Santo Antônio AL
Peixada
Os peixes mais utilizados são arabaiana, cavala, olho-de-boi e robalo. Temperadas com sal e coentro, as postas são cozidas com grandes pedaços de legumes, batatas, cebola e ovo.
Florianópolis SC
Camarão
Um dos pratos mais conhecidos na região é o camarão ao bafo, servido principalmente como aperitivo. Cozido apenas no vapor, é fundamental que seja fresco, pois a simplicidade da receita preserva seu delicado sabor. De março a abril, a oferta é melhor e os camarões são maiores. Ostra
As ostras cultivadas na Ilha de Santa Catarina representam cerca de metade da produção nacional. Em Ribeirão da Ilha encontra-se a maior concentração de produtores. Alguns deles montaram restaurantes e bares e as ostras fresquíssimas, colhidas na hora, são servidas cruas, gratinadas, ao bafo e à milanesa. Tainha
Existem várias formas de preparar a tainha, mas a tradicional é a escalada e a recheada. Escalar a tainha é abri-la pelo dorso, temperá-la com sal, limão e secá-la ao sol por 48 horas, no mínimo. Depois é assada na brasa. A recheada deve ser encomendada com antecedência. É servida inteira, assada no forno e recheada com ovas de tainha, farofa ou molho de camarão ou miúdos de peixe.
Fortaleza CE
Pargo e lagosta
Um dos mais conhecidos é o pargo assado no sal grosso, geralmente acompanhado de arroz e salada. Já a lagosta ao natural, cozida em água e sal e servida na própria carcaça, tem consumo restrito de janeiro a abril, época de reprodução do crustáceo e quando a pesca é proibida.
Guarapari ES
Moqueca capixaba
A moqueca não leva azeite-de-dendê nem leite de coco. Peixe, camarão, lagosta, siri ou marisco são refogados na panela de barro, com muito coentro, cebola, alho, tomate, pimenta, limão,
azeite de oliva e tintura de urucum. Quando a moqueca é de peixe, utiliza-se robalo, badejo, namorado ou vermelho (papa-terra). Para acompanhamento, arroz e pirão de cabeça de peixe.
Jericoacoara CE
Peixada cearense
Encontrada em quase todos os restaurantes do litoral do Estado, a peixada cearense segue uma única receita: peixe fresco (pargo, cavala, robalo ou beijupirá), que antes de ir ao fogo é temperado com sal, limão e alho, ficando em descanso por alguns minutos. Enquanto isso, colocam-se numa panela, para cozer, pedaços graúdos de repolho, cenoura, cebolas, batatas inteiras, tomates cortados em cruz e ovos, temperados apenas com óleo, colorau e sal. Quando estiverem quase cozidos, juntam-se as postas do peixe e adiciona-se o leite de coco natural. O arroz branco e o pirão feito com o caldo do peixe são os acompanhamentos mais comuns.
Parati RJ
Camarão casadinho
Camarões-rosa graúdos unidos 2 a 2. São recheados com farofa picante de camarões miúdos, amarrados e fritos em óleo. É difícil encontrar o prato na época de reprodução do
camarão, quando a pesca é proibida em toda a região. (15 fev/15 mai).
Parnaíba PI
Caranguejo
O crustáceo, cozido em água e sal, é servido de 3 maneiras. A mais tradicional é a corda de caranguejo, composta de 4 unidades inteiras para serem desmembradas e quebradas com o auxílio de um martelinho de madeira. Os outros tira-gostos são a patinha à milanesa e a casquinha de caranguejo.
Penha SC
Cozinha açoriana
A região, antes habitada pelos índios carijós, recebeu levas de imigrantes oriundos do arquipélago dos Açores a partir da metade do século XVIII. Ao adaptar seu paladar aos produtos da terra, eles receberam como contribuição indígena a farinha de mandioca, base do pirão. Alguns pratos representam essa fusão, como o filé de alcatra acebolado na chapa servido com ovos de galinha caipira estrelados, pirão do caldo da carne, farofa de bacon, batata doce frita e banana assada; peixe frito em postas servido com ovas fritas, pirão-d’água escaldado e banana assada.

Peruíbe SP
Caldeirada
Muito comum no litoral sul de São Paulo, a caldeirada é um guisado feito numa cumbuca ou tigela grande. Postas de peixe (brejereba, cambucu, cação, pescada-amarela, garoupa, robalo, badejo, cherne ou caranha) e frutos do mar (camarão, lula, marisco, mexilhão, polvo) são cozidos juntos ao molho de tomate e temperos (cebola, pimentões e, em alguns lugares, açafrão).
Recife PE
Cozinha pernambucana
A culinária do litoral do Estado é muito rica: agulhinha frita, fritada de caranguejo, guaiamum cozido, lagosta ao molho de coco, peixadas e moquecas.
Salvador BA
Cozinha baiana
Conhecida pelo tempero marcante, a culinária baiana tem na moqueca um de seus pratos mais característicos. O preparo normalmente consiste em cozinhar os frutos do mar ou peixes
com azeite-de-dendê, pimentão, tomate, cebola, coentro e leite de coco, acompanhados de pirão e farofa de dendê. A pimenta é servida à parte, quase sempre fortíssima. Acarajé
Uma das tradições de Salvador, que remonta aos tempos do Império, é o acarajé, um bolinho de feijão-fradinho. No preparo, o feijão é lavado para tirar a casca e passado num moinho de cereais. Com água, sal e cebola se obtém uma pasta, que deve ser misturada com colher de pau e frita por cerca de 5 minutos no azeite-de-dendê. Depois é cortado e servido com vatapá, camarão frito e pimenta. Para prová-lo há uma infinidade de barracas. La mb reta
Um molusco largamente consumido em Salvador é a lambreta, uma espécie de mexilhão. O preparo tradicional é simples: antes de sair cozido deve ser limpo como uma escova para retirar a areia e o limo. Em seguida, leva-se para cozinhar numa panela com pouca água, juntamente com os temperos (coentro,
cebola, sal e azeite doce). O caldo revigorante, também é consumido: dizem que cura ressaca.
São Luís Mâ
Pescados com cuxá
Peixes e frutos do mar são a base dos pratos maranhenses. Preparados em forma de caldeiradas, ensopados e tortas, os pescados são acompanhados pelo cuxá, feito com camarão seco, farinha de mandioca, gergelim torrado e vinagreira, erva ligeiramente azeda.
Ubatuba SP
Azul-marinho
Prato tipicamente caiçara, seus ingredientes básicos são o peixe -de preferência garoupa, em postas ou inteira – e a banana-nanica verde. Cozida na panela de ferro, a banana solta o tanino e, após a fermentação, adquire uma coloração azulada. O acompanhamento é a farinha de mandioca com caldo quente de peixe, que formam o pirão. O ideal é encomendar com antecedência.

Compartilhe no:
  • Orkut