Praia em Maragogi

Maragogi:
Reunindo algumas das mais belas praias de Alagoas, Maragogi é o município turístico que mais cresce no Estado. O mar límpido reúne dezenas de tonalidades, do azul mais claro ao verde-escuro. Em alguns trechos da praia pode-se encontrar bancos de areia que permitem incursões mar adentro por mais de 200 m.
Peroba – Ondas fracas, areia fina e batida com muito sargaço. Há coqueiros na orla e recifes a 500 m da praia. Na maré baixa, formam-se piscinas naturais.
Ponta de Mangue  – Areia fina e batida, coqueiros e ondas fracas.
Xaréu – Não há sinalização na estrada que indique o acesso à praia. Mar azul, areia fina e recifes. Há pequena vila.
Barra Grande – Tem ondas fracas e areia fina.
Burgalhau – Tranqüila e com areia batida.
Maragogi – Próxima ao Rio Maragogi, com ondas fracas, recifes e areia fina e batida. Saída do *** Passeio de Barco até as piscinas naturais conhecidas como Galés, formadas na maré baixa, boas para mergulho.
São Bento – As águas são turvas por causa dos detritos levados pelo Rio Maragogi. Extensos recifes tornam as ondas calmas. Na maré baix formam-se bancos de areia a 2 km da praia (20′ de barco). Tem coqueiros, areia batida e uma vila de pescadores.
Japaratinga – Tem ondas fracas, recifes, coqueiros e areia escura e batida. Ao sul, o acesso de terra às praias torna-se muito precário no período de chuvas. O trecho que vai até Boqueirão é cercado de falésias de 8 a 20 m de altura, compostas por areias coloridas.
Bitingui – Em forma de ferradura, com recifes, ondas fracas, coqueiros e areia escura e batida. Tem uma vila de pescadores.
Barreiras do Boqueirão -Alterna trechos de areia clara e fina com outros pedregosos. Mar agitado, com ondas fortes e erosão que derruba coqueiros. Fontes de água doce próximas à praia.
Boqueirão – Alternam trechos de areia clara e fina com outros pedregosos. Mar agitado, com ondas fortes. Fontes de água doce próximas às praias.
do Pontal – Ondas fracas, areia fina e batida. O acesso a ela, Boqueirão, Barreiras do Boqueirão e Bitingui é feito através de Japaratinga ou por balsa, que cruza o Rio Manguaba em Porto de Pedras.

Compartilhe no:
  • Orkut

São José da Coroa Grande

São José da Coroa Grande:
Seu nome vem de uma formação rochosa, em forma de círculo (coroa ou “croa”), que abriga toda a baía, na divisa de Pernambuco com Alagoas. Um dos melhores lugares do Nordeste para a caça submarina.
do Porto – Em forma de ferradura, com coqueiros, ondas fracas e areia fina e batida. É uma região de mangues praticamente intactos, perto da barra do rio. Melhor acesso a pé, a partir da Praia da Várzea do Una. Aqui se encontra o curioso coqueiro solitário, uma palmeira isolada que cresceu na horizontal, junto à orla.
Várzea do Una – Baía com ondas fortes, faixa larga de areia fina e batida. Acesso por estrada arenosa entre coqueiros. Fica junto a uma vila de pescadores, onde se toma um barco para cruzar o Rio Una e chegar à Praia do Porto.
Gravata – Areia clara, ondas fracas e coqueirais. Muitos mosquitos (maruins) por causa do mangue. Acesso por trilha.
Coroa Grande – O nome vem de uma formação de bancos de areia que vai até os recifes, a 500 m da praia. Urbanizada. Tem ondas fracas e coqueiros. Podese fazer passeios de jangada ou praticar caça submarina.

Compartilhe no:
  • Orkut

Tamandaré

Tamandaré:
Vilarejo pacato, com alguma infra-estrutura. Do outro lado do rio, a Praia de Guadalupe é quase deserta e tem Mata Atlântica.
dos Carneiros – Metade é praia de mar, metade de rio, numa região de mangues. 0 trecho de mar é reto, com uma vila de pescadores, coqueiros, ondas fracas e areia fina, clara e batida. Acesso mais fácil pelo rio do que por um terreno particular.
Tamandaré – Formada por duas baías. Ondas fracas, coqueiros, areia fina e batida. A praia do norte, conhecida como das Campas, tem recifes. Procurada para esportes náuticos.
Boca da Barra – Recifes, ondas fracas, areia fina, batida e cinzenta, com muito sargaço. Fica na barra do Rio Mamocabinha. Ruínas do Forte de Tamandaré (1691) e um farol, ao lado. Acesso pela Praia de Tamandaré.

Compartilhe no:
  • Orkut

Maceió

Maceió:
Ipioca – Faixa larga de areia fofa e ondas fortes. Ao norte, águas mais calmas e bancos de areia.
Pratagi (Mirante da Sereia) – Ondas fracas. Tem uma estátua de sereia, mata, rochas, coqueiros e piscinas naturais formadas por recifes.
Riacho Doce – Ondas pequenas, areia clara e fofa. Os corais tornam as piscinas naturais perigosas. A vila de pescadores inspirou o romance de mesmo nome de José Lins do Rego. Alguns trechos são poluídos.
Garça Torta – Faixa larga e inclinada de areia avermelhada e fina, com água verde-esmeralda.Tem sargaços na época das chuvas. No mar, porto de jangadas e currais-de-peixes.
Guaxuma – Enseada rodeada de coqueiros, mar agitado e perigoso. Os quiosques ao longo da orla são muito movimentados. Casas de veraneio.
Jacarecica – Praia de tombo com mar violento e estreita faixa de areia. Boa para a pesca de anzol.
Cruz das Almas – Uma das preferidas dos surfistas, apresenta ondas fortes e pedras na ponta norte. Os perigosos recifes submersos podem ser percebidos pelos vários tons de verde da água.
Jatiúca – Urbana. A Lagoa das Antas, muito procurada para windsurfe, a separa de Cruz das Almas. Na linguagem indígena, jatiúca significa carrapato. Há recifes perto da orla.

Compartilhe no:
  • Orkut

Barra de Santo Antônio

Barra de Santo Antônio:
A região é marcada pela diversidade de características do litoral. Mar calmo e piscinas naturais são encontrados na Praia da Barra de Santo Antônio. A vizinha Carro Quebrado tem ondas fortes e falésias. Na Praia do Morro há coqueiros e águas transparentes. O trecho entre a Barra do Camaragibe e o Porto das Pedras é repleto de recifes. Separada do continente pelo Rio Sto. Antônio Grande, está a ** Ilha da Croa, com piscinas naturais.
Porto de Pedras – Na barra do Rio Manguaba, funciona como entreposto pesqueiro. Tem recifes, ondas fracas, coqueiros e faixa estreita de areia batida. Balsa (6h/19h) para Pontal (5′). Do farol descortina-se uma bela vista da região.
Patacho – Acesso por fazenda de cocos. Deserta, areia grossa.
Lages – Praia extensa, areia grossa, fazenda de cocos.
Tatuamunha – Tem coqueiros, ondas fracas, areia fina e batida, recifes e bancos de areia. Fica numa fazenda de coco. © Porto da Rua      – Muito freqüentada nos finais de semana. Urbana, com bares na orla e jangadas.
São Miguel dos Milagres – Em forma de enseada, tem areia fina e batida, recifes e coqueiros. Vila de pescadores. Entre esta praia e a de Porto da Rua, há um trecho conhecido como Toque.
do Riacho – Areia amarelada e fina, orla cercada de coqueiros.
do Marceneiro – Na barra do Camaragibe, onde há pequeno povoado. Estreita faixa de areia fina e amarelada, recifes e bancos de corais, ondas fracas e coqueirais. Aluguel de barcos com os pescadores.
da Barra do Camaragibe -Fica ao norte da foz do Rio Camaragibe. Tem vila de pescadores e muitos coqueiros. Pedras na praia. do Morro – Deserta, em forma de enseada, águas cristalinas. Dentro de fazenda, acesso por barco, ou pela praia (lh de caminhada).
da Ponta do Gamela – Pequena, selvagem e deserta, com falésias e recifes. O acesso a pé exige a travessia de pedras, facilitada na maré baixa.
Pedra do Cebola  – Deserta, com acesso de bugue por Carro Quebrado. Uma pedra em forma de cebola dá o nome à praia. Ondas fortes, areia branca e fina, coqueirais.
Carro Quebrado – Pouco habitada, tem areia fina e clara, ondas fortes e coqueiros. Falésias com areias coloridas ficam na parte sul da praia.
Barra de Santo Antônio – São 5 km de areia branca e coqueiros. Acesso de balsa no Rio Santo Antônio Grande. A ** Ilha da Croa é repleta de piscinas de corais. Barcos fazem a travessia a partir de Barra de Santo Antônio.
Tabuba – Barcos levam à piscina formada por recife. Tem faixa larga de areia grossa e avermelhada, coqueiros e casas de veraneio. Acesso pelo vilarejo de Santa Luzia (4 km).
Sonho Verde – Área de preservação do peixe-boi marinho. Recifes, ondas fracas, larga faixa de areia fofa e dourada. Coqueiros inclinados oferecem boas sombras. Tem chuveiro eletrônico, que funciona com fichas.
Paripueira – Faixa estreita de areia escura e batida. No extremo norte há um banco de areia. A ponta sul é boa para pesca e mergulho. Durante a maré baixa, caminha-se por quase 1 km, mar adentro, com água pelo joelho. Passeios de catamarã levam o visitante até as piscinas naturais (3 km). Há uma base do Projeto Peixe-Boi Marinho.
Costa Brava – Tem areia clara e fofa onde são armadas quadras de vôlei na temporada.

Compartilhe no:
  • Orkut

Pousadas em Coruripe

Coruripe:
do Pituba – De mar aberto, com pontais rochosos, boa para pesca de linha. Larga faixa de areia clara e fina. Uma fazenda canavieira proí e o acesso, que deve ser feito a partir da Praia da Lagoa do Pau.
da Lagoa do Pau – Tem ondas fortes. O Rio do Pau termina paralelo ao mar e permite banhos. Ao fundo, há uma lagoa cercada por Mata Atlântica. Pontal do Coruripe – Semi-urbana. À esquerda, perto da barra do Rio do Pau, jangadas e barcos do vilarejo ficam abrigadas na enseada. À direita, o mar é aberto e agitado, bom para pesca de linha. Um farol marca a presença de recifes, que formam piscinas.

Compartilhe no:
  • Orkut

Barra de São Miguel

Barra de São Miguel:
Barra de S. Miguel conserva até hoje uma interessante igrejinha da época colonial. É margeada pela ** Lagoa do Roteiro e por extensa barreira de recifes, dos quais surgem piscinas naturais, bancos de areia e canais. A parte esquerda é ideal para surfe. Dali saem os barcos para a Praia do Gunga, que oferece ótima estrutura de lazer, com bar, restaurante e aluguel de equipamentos náuticos.
Barra de São Miguel -Urbana, é uma das mais movimentadas do sul de Alagoas. Tem barreira de recifes em toda a extensão, e na maré baixa, surge grande piscina natural. Águas verdes e areias claras. Ao norte está a barra do Rio Niquim, de água escura e boa para banho. Do outro lado fica a Foz do Rio S. Miguel, conhecido pela abundância do molusco maçunim, e a Ilhota Três Corações, repleta de mangue.
do Gunga – Boa para banho, pesca e mergulho. Areias claras. O acesso de carros é permitido apenas com autorização da prefeitura de São Miguel dos Campos. Passeios de barco saem da Barra de S. Miguel, param na Praia de Gunga e depois seguem até o local onde há o encontro da ** Lagoa do Roteiro e o mar.
da Lagoa Azeda – Com o nome de uma pequena lagoa da região, é primitiva, estendendo-se em frente a encostas de morros e falésias. Há pedras sobre a areia amarelada e batida. Ondas fortes.
Barra do Jequiá – Mar bravo. Larga faixa de areia clara, fina e batida. O carro fica estacionado em um pequeno povoado de pescadores. É preciso caminhar 500 m, margeando a barra do Rio Jequiá.

Compartilhe no:
  • Orkut

Praia do Francês

Praia do Francês:
do Francês – 0 nome vem dos franceses que faziam contrabando de pau-brasil durante o período colonial.
O canto esquerdo – com ondas calmas, piscinas naturais, barracas e restaurantes – é mais movimentado.

Compartilhe no:
  • Orkut

Maceió

Maceió:
As belas praias da Capital de Alagoas têm características comuns: águas verdes, lagoas, coqueiros e piscinas naturais. Em Pajuçara, jangadas rústicas levam até os recifes e piscinas naturais, a cerca de 2 km da costa. Há passeios de bugue pelas falésias e à * Lagoa Manguaba. Maceió é ponto de partida para viagens curtas, de um dia, pelo litoral alagoano.
Ponta Verde – Urbana. Boa para mergulho e windsurfe. Na maré baixa surgem dos recifes próximos, piscinas naturais de água morna. Uma ciclovia liga as praias de Ponta Verde e Jatiúca.
Sete Coqueiros – Fica na ponta norte da enseada de Pajuçara. Na maré baixa as jangadas levam o turista até as piscinas naturais com água na altura da cintura, a 2 km da orla. Poluída. A * Feira do Artesão Alagoano ocupa a calçada todos os dias.
Pajuçara – Uma das mais freqüentadas, tem movimentada vida noturna. Na orla ficam jangadas que levam turistas até as piscinas naturais. Sanfoneiros e cantadores costumam transformar o local em um forró aquático. Poluída no trecho em frente ao Iate Clube.
da Avenida – A mais central da cidade, ao lado do porto. Urbana e poluída pelas águas do Rio Salgadinho.
do Sobral – Urbana e poluída. Reta, com ondas fortes, larga faixa de areia batida.
do Pontal da Barra – Ondas boas para surfe. Fica junto à * Lagoa Mundaú, com passeios de lancha ou escuna, que passam pelo
manguezal da Ilha de Sta. Rita. O bairro é um tradicional núcleo de rendeiras. Poluída perto do emissário submarino.
Saco da Pedra. – Continuação da Praia do Francês. O acesso pode ser feito de barco (10′) a partir da Lagoa Manguaba ou a pé, na maré baixa pela Praia do Francês (4 km). Fazendas controlam a entrada de veículos na praia.

Compartilhe no:
  • Orkut

Foz do Rio São Francisco

Foz do Rio São Francisco:
A encantadora cidade histórica de Penedo é o melhor ponto de partida para conhecer a foz do mais extenso rio navegável do país, o São Francisco. Único lugar da região com infra-estrutura razoável, tem atrações próprias: belo casario (foi chamada pelo escritor Gilberto Freyre de Cidade dos Sobrados) e construções históricas como o *** Convento de S. Francisco, a * Igreja N.S. dos Anjos (1708/1784), a *** Igreja de N.S. da Corrente (1764), o ** Teatro 7 de Setembro (1884) e as * Ruínas do Forte de Maurício de Nassau (séc XVII). O pôr-do-sol refletido nas águas do Velho Chico, apelido carinhoso do Rio São Francisco, é inesquecível. A partir de Penedo, é possível ir até Piaçabuçu, e de barco, fazer uma viagem aventureira por região selvagem, repleta de dunas e terrenos alagadiços onde há muitas plantações de arroz. Em 40′ de barco (a partir de Piaçabuçu) chega-se ao vilarejo de Cabeço, na foz, praticamente ilhada, e com praias fluviais e marinhas de uma beleza ainda primitiva. A região tem muitos manguezais, pequenas dunas, lagoas e ilhotas. Ao sul, na Praia de Pirambu, fica a Reserva Biológica Santa Isabel, com areias fiscalizadas e protegidas para a desova (set/mar) de espécies de tartarugas marinhas ameaçadas de extinção. No lado de Alagoas há um trecho de litoral de importância ecológica semelhante, onde fica a Área de Proteção Ambiental de Piaçabuçu, local em que também ocorre a desova das tartarugas marinhas. Essa área oferece paisagens muito interessantes, com dunas extensas, de até 2 km de largura, e não muito altas. A circulação é feita tanto de bugue, veículo mais adequado para a região, como a pé, pelas dunas.

Compartilhe no:
  • Orkut